Preço e localização motivam consumidores de farmácias

Aquela expressão de que “existe uma farmácia em cada esquina” faz cada vez mais sentido. Os consumidores de farmácias buscam melhorar as experiências de compra e prezam por dois fatores principais: preço e localização.

O público tem pesquisado antes de comprar itens nas drogarias em busca do preço mais acessível e também tem preferência pelas lojas mais próximas de onde ele estiver, seja no trabalho, em casa ou durante a viagem.

Em nova pesquisa feita pelo Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Corporativa (Ifepec), em parceria com a Unicamp, com uma base de dados de 4 mil consumidores em várias regiões do Brasil, ficou evidente esses dois fatores no comportamento de compra dos entrevistados.

Ao todo, 75,4% afirmaram escolher os estabelecimentos pelos preços e 14,9% apontaram a localização como motivação mais importante para a escolha da loja em que se vai comprar os produtos de farmácia.

Foram lembrados ainda estoque (5,1%), atendimento da Farmácia Popular (2,4%), o bom atendimento (1,1%) e a facilidade de estacionar (0,9%).

O que eles compram?

O estudo ainda mostra que houve uma alta de 16,2% nos valores vendidos, demonstrando o crescimento médio nos últimos 12 meses. O ticket médio é de R$ 54,01 nas compras entre os medicamentos consumidos.

Ainda de acordo com o levantamento, 62,6% dos entrevistados disseram que compraram pelo menos um produto genérico. Mas os produtos das marcas ainda lideram as vendas, representados pelas compras de 63,9% dos consumidores pelo menos uma vez. Desse público, 24,4% disseram que só compram esses produtos.

Importante destacar a categoria de não medicamentos. São eles os responsáveis por uma boa fatia da cesta de compras do shopper. Os não medicamentos apareceram em 23,4% das compras dos consumidores, sendo que 4,6% deles foram até a farmácia para adquirir apenas os itens dessa categoria.

As vendas desses produtos podem ser ainda mais estimuladas com um sortimento variado e um layout que auxilie na divulgação dos produtos, seja no PDV ou nos canais virtuais da loja.

Fonte – Vitrine do Varejo