Pesquisa mostra que 88% não têm hábito de comparar preços de farmácias

Embora os consumidores declarem que o preço é importante na hora da aquisição de produtos farmacêuticos, nem sempre fazem pesquisa de preço antes de comprar. É o que revelou a Pesquisa de Comportamento do Cliente na Farmácia 2019, realizada pelo Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC), em parceria com Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT), do Instituto de Economia da Unicamp.

O levantamento entrevistou 4 mil pessoas, em todo o país, no momento em que saiam de farmácias e 88,43% disseram que não pesquisaram preços antes da compra efetuada. Na verdade, comparações realizadas no passado é o que o leva o cliente a concluir que uma loja pratica preços competitivos:

— Dentro da farmácia mesmo, os consumidores tentam reduzir o preço do que pretendem comprar. É comum comparar preços de remédios com genéricos ou similares. Mas ele não compara esse produto com a farmácia do lado — explica o consultor de varejo do IFEPEC, Valdomiro Rodrigues.

Entre os respondentes, 75,45% dos clientes trocaram um produto de marca por um genérico. Quanto ao motivo para escolha do estabecimento, 64,95% afirmaram acreditar que as farmácias onde efetuaram suas compras praticam preços mais baixos e 24,50% apontaram a localização como fator determinante. Também foram considerados o estoque (6,25%), a facilidade de estacionar (1,58%), possuir atendimento da Farmácia Popular (1,35%) e o bom atendimento (0,88%).

Fonte – Jornal Extra