Multmais lamenta falecimento do Dr. Fridolino Rêgo

A Rede de Farmácias Multmais e todo segmento farmacêutico lamentam o falecimento do Dr. Fridolino de Moraes Rêgo, aos 95 anos. Um dos principais nomes na história da farmácia na Bahia, teve como grande marco na sua trajetória a condução da emblemática Farmácia Chile, situada no então centro econômico de Salvador, a Rua Chile.

Tinha a carteira profissional nº 3 do Conselho Regional de Farmácia (CRF-BA), sendo o farmacêutico mais antigo em vida registrado pelo órgão. Fridolino era pai de João Arthur Rêgo, diretor administrativo e financeiro da Multmais, e deixa mulher, 4 filhos, 10 netos e 9 bisnetos.

João Arthur sempre desejou que a história do seu pai fosse eternizada em um livro. Isso se tornou realidade em 2017 com a publicação ‘‘Rua Chile: Honra e Glória do Comércio Baiano”. O lançamento fez parte das comemorações dos 70 anos da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA). Fridolino também se destacou ao longo da sua trajetória pela relação construída com diversas instituições representativas, entre elas a Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico (ABCFARMA), da qual era conselheiro vitalício.

A Multmais se solidariza aos seus familiares e amigos e manifesta gratidão por todo legado que Dr. Fridolino Rêgo deixou para o setor farmacêutico na Bahia e no Brasil.

Uma história de amor com a farmácia

A vida do Dr. Fridolino Rêgo foi permeada de capítulos que formam uma obra admirável e fascinante, não apenas para quem faz parte do segmento farmacêutico, mas para todos os que acreditam no empreendedorismo e na paixão pela profissão.

Para começar essa trajetória, devemos fazer uma viagem no tempo. Na sua infância, bastavam as caixas de remédios vazias se amontoar para a brincadeira começar. Enquanto a Farmácia Chile, inaugurada em 1925 e localizada no endereço mais sofisticado da capital baiana, a Rua Chile, despontava como uma referência no comércio soteropolitano da época, o menino Fridolino sonhava apenas em um dia seguir os passos do seu pai, Arthur Rêgo, brincando de ser comerciante. As embalagens que o garoto juntava na companhia do irmão Júlio representaram o início de uma das histórias mais fascinantes do mercado farmacêutico na Bahia.

Durante toda a adolescência, a Farmácia Chile foi a sua segunda casa. Lugar onde aprendeu muito e teve ainda mais certeza de que aquela era a sua verdadeira missão, embora também houvesse se encantado pela engenharia. Aos 18 anos, em 1945, o sonho começou a ganhar forma. Foi quando ele e seu irmão prestaram vestibular para o curso de Farmácia.  Três anos mais tarde, já formado, começou a exercer a profissão que tanto amou.

O sonho iniciado pelo prático farmacêutico Arthur Rêgo precisava ser levado adiante após o seu precoce falecimento. O patriarca foi precursor do comércio farmacêutico feito em rede e implantou, pela primeira vez na Bahia, uma farmácia organizada por setores, atendendo a cerca de 3 mil clientes por dia, em um modelo adotado nas modernas drugstores décadas depois.

A dedicação dos irmãos fez com que os negócios se expandissem, abrindo um total de 16 lojas, em diversos bairros de Salvador. O Dr. Fridolino testemunhou as mudanças no comércio de remédios, viu surgir os mais diversos tipos de produtos e participou de maneira decisiva de importantes momentos da história do segmento, como na fundação do Conselho Regional de Farmácia (CRF), no qual tem a carteira profissional nº 3, sendo o farmacêutico mais antigo em vida registrado pelo órgão.

Conversar com o Dr. Fridolino se transformava em uma verdadeira aula, repleta de histórias. Uma delas ele sempre fazia questão de contar. Na época pós-64, quando os militares queriam controlar os preços dos remédios, fiscalizando até os centavos de cada produto vendido, ele conseguiu articular junto ao governo uma listagem de produtos e preços que serviram de referência para todo o comércio, inovando para os cadernos de preços que se tornaram tão populares no Brasil posteriormente.

As décadas se passaram, mas nada apagou o seu desejo de se manter ativo na profissão. Em uma entrevista dada em 2004, aos 78 anos, quando ainda trabalha na farmácia Tradição (fundada após o fechamento da Chile), ele foi claro sobre o seu papel social: “Exerço minha profissão com muito orgulho. Quando me solicitam uma informação no balcão, oriento de acordo com a necessidade e o uso correto do medicamento”. Esse compromisso com a sua missão fez com que a sua história se eternizasse e se refletisse como uma referência para diversos empresários e instituições representativas que o homenagearam ao longo dos anos, reconhecendo a sua importância para o comércio e, sobretudo, para o segmento farmacêutico.