Fórum Beauty Fair Farma destaca os desafios da indústria e varejo

Durante a Beauty Fair, foi realizado no Expo Center Norte, o 2° Fórum Beauty Fair Farma com apoio da Febrafar – Federação Brasileira das Redes Associativas e Independentes de Farmácia, responsável por contribuir com a educação e desenvolvimento dos associados.

Profissionais da indústria e do varejo tiveram a oportunidade de conhecer os dados atualizados do setor farmacêutico no Brasil, as transformações proporcionadas pelas novas tecnologias e os desafios que precisam ser encarados com o auxílio de profissionais inovadores.

Veja um resumo desse dia de atualização:

As mudanças comportamentais dos consumidores

Os avanços tecnológicos transformaram as percepções das pessoas em relação a como desejam consumir produtos, serviços e obter informações. Marta Gabriel, PhD e consultora na área de negócios, falou sobre o comportamento do consumidor, a importância de entender sobre Inteligência Artificial e sobre dados. “Se você não tiver dados estruturados, você não consegue automatizar. Depois que você automatizar, você começa a verificar valor, aí você consegue escalar”, resumiu.

Marta ainda enfatizou a necessidade de dar atenção a algumas questões, como:

  • Uso do mobile para buscas, compras e dados;
  • Data Economy, que são dados estruturados para a economia da empresa;
  • Real Time, que se refere o comportamento das pessoas em buscar tudo em tempo real;
  • Social, que significa utilizar as mídias para conversar com os consumidores.

Para a profissional, é necessário saber quem vai influenciar as pessoas. “Se você é uma marca grande, os influenciadores digitais fazem a diferença. Se você é uma marca menor ou local, o cliente é um influenciador”, reforçou.

As questões dos dados ainda focaram na Inteligência Artificial e Marta usou exemplos de robôs, que conseguem interagir com os consumidores em situações mais simples, como passar a informação de horário, até as mais complexas, que envolvem checkout com reconhecimento facial, por exemplo.

Os desafios da Febrafar

Na sequência, Edison Tamascia, presidente da Febrafar, trouxe dados da Federação e abordou a necessidade em incentivar o empreendedorismo dos associados, além de ter abordado o relacionamento que gera a colaboração e avaliação visionária. “O objetivo desse evento de hoje é fazer com que nossas farmácias tenham um volume maior de produtos de não-medicamentos”, resumiu.

Painel com a indústria

Cesar Tsukuda, diretor-superintendente da Beauty Fair, conduziu as perguntas aos representantes das empresas Ativa, Baruel, Cless, Felps, Coty, Taiff, Ideal e Vult, que são marcas que já começaram a investir no canal Farma afim de ampliar seus negócios.

Durante o bate-papo, Eduardo Yamashita, da Cless, comentou sobre a marca ter 68% de produtos classificados como hair spray dentro das farmácias e que há um mês estão reformulando conceitos para aumentar o apoio na área educacional. “A indústria precisa ter esse papel de gestão e educação”, enfatizou.

Já Juliana Piria, da Felps, destacou um comportamento típico de alguns consumidores que buscam por produtos profissionais nas farmácias. “O produto profissional é buscado por quem gosta de fazer o tratamento em casa. A gente entende que, nesse serviço, o maior desafio é encontrar o canal de distribuição e o pessoal que entende. Estamos mais perto da Febrafar para chegarmos até os distribuidores”, disse.

O representante da Baruel, Daniel Tiraboshi, ressaltou que é necessário ter um “time multifuncional e mais próximo do distribuidor para conhecer as lojas e avaliar os indicadores com frequência”. Guilherme Cardoso, da Vult, comentou sobre os 40 mil pontos de vendas da marca e que os produtos estão conectados com a beleza. “A beleza é emocional. Exige conexão com a consumidora. Qual é a experiência que o produto vai proporcionar a ela? A indústria tem a obrigação de atender a determinado tipo de loja e o tipo de cliente”.

Na sequência, Fábio Enrico, da Ideal, explicou como a marca está investindo nesse tipo de ponto de venda. “Esse desafio começou há um ano e meio para definir como entrar no canal Farma. Nós não enxergamos a farmácia como lugar de remédios e doenças; considerarmos a farmácia como meio de obter saúde e bem-estar”.

Os participantes do Fórum Beauty Fair Farma tiveram ainda a oportunidade de realizar uma visita guiada pelos estandes das marcas expositoras com a finalidade de fechar novos negócios de forma ainda mais facilitada e prática.

Por Rosiana Alda

Fotos – Alexandre Machado