Campanha Na Direção da Vida reforça importância de cuidados com a saúde mental

O girassol está de volta. Conduzida pela Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (ABRATA), pela Pfizer e pela Upjohn, divisão da Pfizer focada em doenças crônicas não transmissíveis, a segunda edição da campanha Na Direção da Vida acontece durante todo o mês de setembro. As ações integram o movimento mundial Setembro Amarelo para dar mais visibilidade aos transtornos mentais, como a depressão e a ansiedade, e prevenção do suicídio.

A campanha, que tem apoio e eventos em parceira com a Febrafar, tem como principal objetivo abrir e manter o diálogo sobre o tema e estimular um ambiente de acolhimento para pessoas que, muitas vezes, não procuram apoio por falta de informação, por medo, insegurança ou vergonha de serem estigmatizadas.

“Em tempos de pandemia da Covid-19, essa conversa se torna ainda mais necessária. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 800 mil pessoas acabam com suas vidas todos os anos no mundo e os distúrbios emocionais aparecem como os principais fatores de risco do suicídio. O Setembro Amarelo dá luz a um assunto sério, de saúde pública, e com grande relevância no Brasil e no mundo”, afirma Márjori Dulcine, Diretora Médica da Pfizer Brasil.

Quase 12 milhões de brasileiros enfrentam a depressão1 , o que equivale à população inteira de uma metrópole como São Paulo, por exemplo. No que diz respeito à ansiedade, os números do Brasil também são preocupantes. Segundo dados da OMS, o nosso país tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo2 : 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) convivem com algum tipo de transtorno de ansiedade.

“Diante deste cenário, de um ano marcado por uma pandemia, por muitas perdas materiais e afetivas, pelo isolamento social e por muitas incertezas, a conscientização, a informação e o diálogo se tornaram ainda mais relevantes no que diz respeito à saúde mental. O Setembro Amarelo e a campanha Na Direção da Vida vêm cumprir exatamente esse papel”, explica a neurologista Elizabeth Bilevicius, líder médica da Upjohn.

Na Direção da Vida 2020: uma corrente amarela nas redes sociais e ruas de SP

A edição 2020 da campanha terá diversas ações com foco no universo digital em função das orientações sanitárias com relação ao distanciamento social no combate ao novo coronavírus.

Dentro da programação deste ano, estão previstas diversas ativações com formadores de opinião nas redes sociais da Pfizer e de seus parceiros ao longo de setembro. Um filtro temático para Instagram e um fundo para plataformas web foram criados com a identidade visual e símbolo da campanha, o girassol.

E o girassol do Setembro Amarelo germina com a ação Primavera Digital. Um time de famosos, influenciadores, anônimos – alguns deles pacientes diagnosticados com algum tipo de transtorno mental – formaram uma corrente Na Direção da Vida. Mensagens de apoio e até testemunhos protagonizam o vídeo inspirado nas criações do aplicativo TikTok. “A flor é o elo entre os participantes que contam histórias relacionadas à depressão ou ansiedade vividas por eles mesmos ou por alguém do seu entorno. O vídeo é um convite à vida”, explica Cristiane Santos, Diretora de Comunicação e Assuntos Corporativos da Pfizer Brasil.

Para dar ainda mais visibilidade, força e o tom certo à iniciativa, diferentes formadores de opinião e pacientes se uniram em um videoclipe para entoarem em uma só voz um hino Na Direção da Vida, embalados pela canção “Enquanto Houver Sol” do Titãs. A música traz uma mensagem de apoio, de esperança, reforçando a ideia de que, apesar das dificuldades, dos desafios da vida, e ainda que muitas vezes o caminho pareça sombrio, solitário e sem solução, há saída.

“Qualquer indivíduo está vulnerável a reações psicológicas. Adultos, jovens, idosos e até mesmo as crianças podem apresentar algum sofrimento psíquico. A depressão e a ansiedade não são simplesmente tristeza profunda. São doenças e como tais precisam de tratamento, de cuidado. Iniciativas como essa, que contam com o endosso de formadores de opinião, abrem espaço para o diálogo, para a empatia, para o acolhimento tão necessários para quem padece de algum distúrbio emocional. Muitas vezes, esses pacientes só precisam transpassar a barreira da aceitação, da vergonha, e pedir ajuda. Há tratamentos e a ajuda pode curar”, reforça a Dra. Alexandrina Meleiro, vice-presidente da Comissão de Saúde Mental do Médico da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e vice-presidente da Associação Brasileira de Estudo e Prevenção de Suicídio (ABEPS).

O ponto alto da campanha acontece em 10 de setembro, Dia Mundial do Combate ao Suicídio. A Zona Oeste de São Paulo se transformará em um lindo campo de girassóis. “A pandemia nos trouxe um desafio. Dar luz, se aproximar e engajar a população a uma causa tão relevante como o Setembro Amarelo, diante das regras de distanciamento social. Recorremos à tecnologia e à luz, literalmente, para ganhar as ruas e fazer uma intervenção urbana por meio de iluminação laser e projeção mapeada. Especialmente este ano, não poderíamos deixar de passar a mensagem de que ninguém está sozinho e que o caminho pode ser sim de flores Na Direção da Vida”, ressalta Cristiane.

Referências: 1. Depression and Other Common Mental Disorders: Global Health Estimates. Geneva: World Health Organization; 2017. 2. Artigo O paciente psiquiátrico: mais invisível que o vírus (ABRATA) http://www.abrata.org.br/o-paciente-psiquiatricomais-invisivel-que-o-virus/