Biolab investe pesado no mercado de genéricos

A Biolab entrou com força no mercado de genéricos e tem a Febrafar como parceira estratégica para esse momento. A empresa espera faturar mais de R$ 150 milhões já em 2019. A entrada no segmento acontece após a compra da Actavis Brasil, que pertencia à israelense Teva, concluída na última semana.

“Biolab é uma empresa nacional tinha como seu core business os produtos de marca, contudo, em função do cenário atual brasileiro, no qual se observa uma crescente procura de genéricos que hoje representa 30% do mercado, assim, nosso primeiro passo foi a aquisição de uma empresa do ramo, criando a Biolab Genéricos”, conta Adriano Caldas, gerente nacional de vendas.

Ele conta que os objetivos da empresa são ambiciosos, buscando conquistar nos próximos três anos 7% do Market Share do mercado, contando com entre 60 ou 70 apresentações, tendo como diferencial a forte atuação na área cardiovascular e neurológica, com produtos de alta qualidade e com grande respeitabilidade na classe médica.

As ações junto as farmácias já começaram com a atuação de equipe de trade exclusiva para essa área. “Dentro desse nosso projeto as redes da Febrafar possuem posicionamento estratégico, pois sabemos da força e representatividade que elas possuem hoje”, avalia Adriano Caldas.

Apesar de o valor do negócio não ter sido divulgado, cogita-se que a Biolab teria pagado algo entre R$ 40 milhões e R$ 60 milhões pela operação, que inclui uma fábrica no Rio de Janeiro e portfólio com 30 produtos. O faturamento da Actavis, em 2017, é estimado em torno de R$ 50 milhões.

No mercado de genéricos, a estratégia não será concorrer diretamente com as grandes do segmento, como EMS, Hypera e Medley. Até o ano que vem, o portfólio deverá ser formado por 60 produtos, que juntos poderão responder por 15% do faturamento da empresa. “O genérico é uma realidade do mercado brasileiro, então temos de trabalhar nisso também. vamos diluir custo de produção”, diz o presidente e um dos controladores da Biolab, Cleiton de Castro Marques.

Para finalizar o gerente da Biolab conta que a estratégia da empresa é lançar produtos que, além da qualidade, possuam preços acessível. Também serão intensificados os investimentos no portfólio, e deve ainda lança uma nova fábrica no Sul de Minas Gerais em até três anos.

Com informações do Valor Econômico